No momento em que se celebram duas décadas sobre o reconhecimento pela FCT enquanto Centro de I&D, encontra-se o CEIS20 num ponto de afirmação, assumindo o que tem sido um período de desenvolvimento e estruturação de uma unidade de investigação de excelência dedicada às Humanidades e às Ciências Sociais. Concomitantemente, está preparado para trilhar uma fase de desenvolvimento, na qual novos eixos estratégicos foram definidos e assumidos pelo todo dos seus investigadores pelo facto de estes se apresentarem como peças-chave. Quatro eixos operacionais e duas ideias estratégicas prioritárias envolvem as áreas fundamentais  da atividade do CEIS20 tendo sido desta forma delineadas: a estratégia regional e urbana com particular atenção aos territórios de baixa densidade (Região Centro de Portugal) e a implementação de uma maior internacionalização, aqui destacando-se o reforço das relações estabelecidas com diferentes instituições lusófonas, ibero-americanas e da área do Mediterrâneo, no seguimento da estratégia de produção de conhecimento e também da disseminação de resultados. Nesse sentido, o CEIS20 centra a sua atividade numa investigação interdisciplinar assente nas referidas linhas temáticas de base, focadas, por um lado, numa compreensão holística do liberalismo e, por outro, na importância da mobilidade de pessoas e ideias em diferentes esferas, mas tendo sempre presente a ligação próxima aos objetivos definidos pela Agenda 2030.

Neste início de um novo ciclo (2018-2022) da vida do CEIS20, procura-se  um foco nas diferentes áreas de conhecimento dos seus investigadores, encorajando práticas inovadoras e promovendo discussões multi e interdisciplinares, prolongando-se, assim, aquilo pelo qual o CEIS20 vem sendo reconhecido ao longo destes 20 anos: ser uma unidade de investigação que contribui para a produção de conhecimento científico inovador e de elevada qualidade, refletindo, analisando e colocando em execução, sempre, novas temáticas e preocupações que as sociedades vão vivenciando.

É nesta lógica que se vai realizar, nos dias 8 e 9 de novembro de 2018, o Congresso Border Crossings: territórios e fronteiras em investigação, procurando atravessar de forma continuada a fronteira de trabalho científico interdisciplinar, apontando novos rumos e traçando novas metas de investigação. Para que este congresso celebre o que foi já realizado, e tudo o que se pretende para o futuro, contará com a participação de reconhecidas individualidades, nacionais e internacionais, que se vão debruçar sobre áreas fulcrais para as sociedades portuguesa, europeia e global. Nestes dois dias do congresso, estarão, ainda, em debate temas como: refugiados e territórios de transição; transformações e dinâmicas educacionais de territórios em mutação; media, sociedade e era digital; inovação e tecnologia nas Humanidades e Ciências Sociais; novos discursos e novas abordagens nestes domínios. Porém, este momento de reflexão e debate não se restringirá ao programa mencionado, dado que se encontra profundamente interligado a diferentes encontros, colóquios e congressos preparados pelos grupos de investigação que constituem o Centro, proporcionando ao longo de dez dias, não só à comunidade académica e científica, mas também à sociedade civil, uma experiência imersiva naquilo que são os territórios e as fronteiras em investigação na área das Humanidades e das Ciências Sociais.


Apoios